De Londres, com amor: um guia made in England, parte 1
Refúgio

De Londres, com amor: um guia made in England, parte 1

por Vânia Goy

Por Carla Valois, de Londres

Antes de me mudar para Londres, conhecia pouquíssimas marcas de cosméticos do Reino Unido, tampouco da Inglaterra. Quando cheguei, no entanto, me deparei com uma variedade imensa, fiquei mesmo impressionada. Depois de quase dois meses de muita pesquisa, selecionei algumas das mais bacanas. Essa é apenas a primeira parte do guia de beleza “made in England” do Belezinha; a gente deu um pulo na Jo Malone London, Floris London, Atkinsons, Penhaligon’s, Aurelia Probiotic Skincare, Neal’s Yard Remedies e Burberry.

Jo Malone London
Manjericão, mirtilo, romã, tangerina, gengibre e até pepino. Colônias e hidratantes com ingredientes surpreendentes; embalagens minimalistas, extremamente graciosas; lojas com sofisticados móveis bicolores; campanhas fotografadas por Tim Walker. A Jo Malone London é, quiçá, a marca de cosméticos mais emblemática do Reino Unido; ela transmite em seus produtos a própria elegância britânica, tipicamente sóbria e sem extravagâncias desnecessárias, mas muito encantadora.

Até experiência de compra é diferente: em suas lojas é possível customizar fragrâncias e, mais maravilhoso ainda, receber massagens nas mãos e nos braços com cremes e óleos da marca. A linha de produtos para casa, também incrível, traz velas perfumadas, difusores, aromatizadores de ambiente e sprays para os lençóis – as velas perfumadas, aliás, são muito vendidas para serem dadas como presente.

Vale mencionar, no entanto, que tudo começou por acaso na cozinha onde Jo Malone, “pessoa física”, realizava seus tratamentos faciais. Para agradecer às clientes, ela formulou um óleo de banho com noz-moscada e gengibre; pouco depois, em 1994, inaugurou a primeira loja no número 154 da Walton Street, em Knightsbridge. O sucesso foi tão grande que, em 1999, o grupo Estée Lauder comprou parte da marca, adquirindo-a integralmente em 2006.

Experiência pessoal: de nome, conhecia a Jo Malone London há bastante tempo, mas só este ano, já vivendo em Londres, é que virei cliente. Amo muito as colônias Pomegranate Noir e Lime Basil & Mandarin, ambas frutadas, e a floral Peony & Blush Suede. Uso também o hidratante corporal Pomegranate Noir que, assim como a fragrância, traz romãs, lírios e madeira guaiac como notas de saída, coração e fundo, respectivamente.

Floris London
Perfumaria e varejista de artigos de higiene pessoal favorita de Mary Shelley e Winston Churchill, a Floris London existe desde 1730, quando foi fundada, em Londres, pelo espanhol Juan Famenias Floris e sua esposa, Elizabeth. A primeira loja da marca, no número 89 da Jermyn Street, está aberta até hoje – 89, inclusive, é o nome da fragrância que, lançada em 1951, era a preferida de Ian Fleming, autor dos livros da série protagonizada por James Bond.

Em 1989, ninguém menos que Diana, princesa de Gales, inaugurou a fábrica da marca em Devon, no interior da Inglaterra. Com mais de 280 anos, a Floris London continua administrada pela mesma família, o que a torna, sem dúvidas, ainda mais cativante. À parte as fragrâncias; hidratantes e sabonetes, ambos com opções para o banho e para as mãos; cremes de barbear e loções pós-barba, ela ainda possui uma linha para a casa, da qual fazem parte velas perfumadas e aromatizadores de ambiente.

Experiência pessoal: adorei visitar a loja de Jermyn Street. Lá conheci Edward Bodenham, da 9ª geração da família Floris, que me mostrou o laboratório e o acervo da marca, onde tudo está disposto cronologicamente, inclusive um recibo de venda do perfume Special Nº 127 e da essência de banho Stephanotis para Winston Churchill e uma carta escrita a mão por Florence Nightingale, datada de 1863. Eu me apaixonei pelo floral Sirena, composto por jasmin, bergamota, pimenta-rosa, almíscar, patchouli, sândalo e peônias; outro foral que gostei muito é o Cherry Blossom. Voltei para casa com a vela perfumada Cinnamon & Tangerine! <3

Atkinsons
James Atkinson chegou em Londres em 1799, vindo de Cumberland, bem ao norte da Inglaterra. Consigo, trazia fórmulas de colônias, instruções para a manufatura de acessórios de higiene pessoal e uma razoável quantidade de pomada de gordura de urso (1). Ao seu lado, acredite ou não, vinha um urso DE VERDADE. Ele então abriu a sua primeira loja no número 44 da Gerrard Street e logo fez bastante sucesso, em especial com o público masculino. Em 1826, Atkinson foi nomeado perfumista da corte de George IV e, além do próprio monarca, possuía clientes como o dândi Beau Brummell e a atriz francesa Sarah Bernhardt.

Em 1832, a Atkinsons inaugurou sua nova sede, localizada em um prédio gigantesco na esquina entre Old Bond Street e Burlington Gardens. Lá, foram criados os perfumes 24 Old Bond Street, The British Bouquet e The Odd Fellow’s Bouquet, além de outros que não são mais produzidos atualmente. A pomada de gordura de urso, por sinal, só deixou de ser comercializada após 1918, quando terminou a Guerra Mundial (acreditava-se que tal produto estimulava o crescimento capilar). O fim guerra, aliás, destruiu a marca, que só foi relançada em setembro de 2013 sob a batuta da Perfume Holding.

Depois dessa “hibernação”, a Atkinsons voltou a produzir os perfumes 24 Old Bond Street, The British Bouquet e The Odd Fellow’s Bouquet e lançou mais cinco: Oud Save the King, Oud Save the Queen, The Nuptial Bouquet, Fashion Decree e Jasmine in Tangerine. Eles também tem uma linha para a casa, com itens para o banho e velas perfumadas.

Experiência pessoal: a Atkinsons é vendida na Harrods e na Selfridges; onde fui conhecê-la. O 24 Old Bond Street é ótimo, mas achei muito pesado para mim, talvez ele seja indicado para quem gosta de cheiros mais intensos. Adorei os perfumes Oud Save the Queen, Fashion Decree e Jasmine in Tangerine, já tenho os dois últimos, aliás.

Penhaligon’s
Inspirado pelos banhos turcos, William Penhaligon criou o perfume Hammam Bouquet em 1872. A partir daí, em Jermyn Street, Londres, fundou-se a Penhaligon’s; lá a marca permaneceu até 1941, quando sua loja foi bombardeada pela Luftwaffe, força aérea alemã, durante a Segunda Guerra. Em seguida, veio o completo ostracismo. Só em 1975, mais de três décadas depois, é que Sheila Pickles “ressucitou” a Penhaligon’s, atualmente parte do grupo Fox Paine.

Hoje, a Penhaligon’s possui 35 fragrâncias em seu portfólio e seis lojas próprias só em Londres, além de ser comercializada fora do Reino Unido em vários outros países da Europa, entre eles Portugal, França, Espanha e Itália. A marca também produz sabonetes, hidratantes para as mãos e para o corpo, óleos de banho, velas perfumas e uma linha inteira dedicada ao público masculino, com cremes de barbear, loções pós-barba, cremes para estilizar o bigode e acessórios (navalha e pincel incluídos!).

Experiência pessoal: fui em uma das duas lojas da Penhaligon’s em Covent Garden entender de pert a magia da marca. Com a ajuda do gerente, Sayed, conheci os produtos da marca e cheirei quase todos os perfumes, sai de lá quase tonta, mas foi bem divertido. Não encontrei nenhuma fragrância que tenha amado – gostei do Artemisia, Malabah e Empressa –; meu marido, no entanto, adorou o Eau de Toilette Sartorial (em breve, quero comprar para ele!).

Aurelia Probiotic Skincare
Claire Vero lançou a Aurelia Probiotic Skincare em janeiro de 2013, de forma independente, sem financiamento algum. Após anos trabalhando na indústria farmaceútica, ela contratou uma equipe de profissionais para formular os produtos que tinha em mente, todos – necessariamente – com probióticos e complexo de peptídeos e sem óleos minerais, parabenos, silicones, petroquímicos e sulfatos. Há mais de dois anos a marca está disponível no Net-A-Porter e, em Londres, na Liberty e na Space.NK Apothecary; em Paris, é vendida na Oh My Cream!, já em Nova York é comercializa na Shen. A Aurelia Probiotic Skincare não testa em animais e todas as suas embalagens são reclicláveis – ou seja, tudo o que todo mundo que é fã de cosméticos verdes procura.

Experiência pessoal: foi amor à primeira vista! A filosofia, as embalagens e os cheiros dos produtos da Aurelia Probiotic Skincare me encantaram de imediato. Diariamente, estou usando o Miracle Cleanser, o Cell Repair Night Oil, o Refine & Polish Miracle Balm e o Cell Revitalise Day Moisturiser, que é meu preferido até agora (ele hidrata sem empapar e é perfeito como primer). O Miracle Cleanser também é ótimo, tira a maquiagem muito bem e deixa a pele macia, já o Cell Repair Night Oil cheira tão bem que até esqueço que não gosto muito de óleos faciais. Meu próximo passo é comprar a Cell Revitalise Rose Mask, o Eye Revitalising Duo e o Firm & Revitalise Dry Body Oil. <3

Neal’s Yard Remedies
Em um pátio quase esquecido de Covent Garden, Romy Fraser abriu a primeira loja da Neal’s Yard Remedies, em 1981. Lá, vendia ervas secas, óleos essenciais, florais de Bach e remédios homeopáticos. Quatro anos depois, já disponível também no Japão, a marca inaugurou uma pequena fábrica no sul de Londres; ainda em 1985, lançou o best-seller Frankincense & Myrrh Skin Cream, hidratante facial comercializado até hoje, mas agora chamado Frankincense Nourishing Cream.

Em 1986, a Neal’s Yard Remedies inaugurou mais duas lojas – atualmente são 40 lojas próprias, mais 400 pontos de venda, como a John Lewis e a Fenwicks –; em seguida, logo no início da década de 90, foi a primeira empresa de saúde e beleza certificada pela Soil Association. De lá para cá, a marca só cresceu e, em 2006, foi vendida para a família Kindersley, que a manteve orgânica e a expandiu para Austrália, Coréia do Sul, Estados Unidos, Hong Kong, México e até para o Catar.

À parte as linhas de tratamento para a pele, para o corpo e para os cabelos, a Neal’s Yard Remedies ainda produz chás, ervas secas, óleos essenciais, medicamentos naturais, suplementos alimentíceos, produtos de cuidados para bebês e maquiagem. A coleção de maquiagem, aliás, deve ser ampliada em 2015, assim como o spa da marca, localizado em Chelsea, bairro nobre de Londres. A Neal’s Yard Remedies é certificada, desde 2008, neutra em carbono pela The Carbon Neutral Company e é outra que não testa em animais.

Experiência pessoal: O Wild Rose Beauty Balm é maravilhoso, meu demaquilante preferido atualmente. Ele limpa, esfolia e hidrata a pele, e ainda cheira muito bem (sua fórmula contém oléos essenciais de rosa mosqueta, gerânio, girassol e alecrim). O creme Frankincense Intense também é ótimo: hidrata, tonifica e reduz a aparência de linhas finas e pequenas rugas; traz complexo de peptídeos, células-tronco de gardênia e óleos essenciais de olíbano, macadâmia, bergamota e baobá na composição. Outro produto da Neal’s Yard Remedies que provei – e aprovei – é o recém-lançado Organic Greens Complex, suplemento em pó que bato no liquidificador com uma ou duas frutas e que, segundo a marca, ajuda a desintoxicar o organismo e aumentar a vitalidade.

Burberry
Em abril de 2013, a Burberry readquiriu a licença de sua linha de beleza – depois de 20 anos franqueada pela Interparfums Inc. – e, em menos de um ano lançou uma coleção completa de maquiagem e esmaltes, além dos perfumes My Burberry e Brit Rhythm. Ainda em dezembro de 2013 eles inauguraram uma loja só de cosméticos em Covent Garden, Londres, e promoveram parcerias com a Sephora, em Paris, e com a Selfridges, que tem pontos de venda em Londres, Birmingham e Manchester.

Segundo o “Business of Fashion”, a Burberry já levou £7,2 milhões em vendas diretas com seus lançamentos de beleza só no ano que seguiu a reaquisição da licença; em vendas indiretas, o valor chega a £144 milhões (os perfumes, já disponíveis no Brasil, são responsáveis por 97% dessa quantia). A marca, no entanto, ainda pretende crescer muito mais: em 2015, dizem, apresentará uma linha de cuidados para a pele.

Experiência pessoal: fiz um tour pela loja de beleza da Burberry em Covent Garden, que, por sinal, é bem bonita, e lá provei alguns produtos. O perfume My Burberry é gostoso – traz pêra, bergamota, folhas de gerânio, patchouli e damasco na composição –, e os esmaltes duram bastante (as coleções seguem as cores dos desfiles da marca). Preciso voltar lá para experimentar as bases e os batons, que têm fãs no mundo todo! Como as roupas, as embalagens com o tradicional xadrez impresso são irresistíveis!

Posts Relacionados