Make nada, selfies e como envelhecer sem preocupação, por Cecilia Dean
Belezinha

Make nada, selfies e como envelhecer sem preocupação, por Cecilia Dean

por Vânia Goy

Sou fã confessa da Cecilia Dean. Não só porque ela é uma das fundadoras da Visionaire (um mix de revista de moda e arte que vai muito além de páginas impressas e é desdobrada como expos e eventos únicos) mas também porque ela é uma das mulheres mais cheias de estilo e elegância que já vi. Esqueça grandes produções, marcas ou staff complicado. Ela é o contrário disso tudo, é discreta e despretensiosa. E tem suas marcas-registradas: os fios longos sempre presos e o rosto natural.

Há um tempo bati um papo rápido com ela sobre beleza e, a despeito de ser uma ex-modelo e habituée da cena fashion há décadas, falou sobre a vida tranquila que leva no Brooklin, em Nova York, onde cria galinhas, das pedaladas diárias até o escritório, sucos e verdes e, o mais legal de tudo, sobre envelhecer no mundo de redes sociais que temos hoje.

O “no make-up make-up” é uma de suas assinaturas. Você acha que é uma tendência? Realmente não uso muita maquiagem no dia a dia. Geralmente, um pouco de corretivo nas olheiras (provavelmente eu até precisaria de mais nesta manhã) e um bastão da Nars que serve como blush e iluminador. O “make nada” é o tipo de coisa que estará sempre nos rodeando. Quando penso no assunto lembro de Dick Page, maquiador que começou essa história nos 90’s em resposta aos excessos dos 80’s. E tem mesmo tudo a ver com o minimalismo característico daquela década. Não acredito mais em tendências para ser sincera — hoje todo mundo pode fazer o que tiver vontade. Mas acho que existem dois caminhos: este e um outro, com mulheres que gostam de muita maquiagem, de um rosto perfeitamente esculpido. É uma fase que todos tiram muitas selfies e querem controlar tudo ao máximo, principalmente a sua imagem. As redes sociais servem para todos mostrarem quão fabulosas são as suas vidas e a maquiagem faz parte disso.

Certa vez li que você não se preocupa com a idade (Cecilia tem 46 anos). Você acha que as pessoas estão obcecadas com o assunto? Tenho algumas rugas ao redor dos olhos que aparecem quando sorrio. E sempre penso, “talvez eu não deva sorrir nas fotos”. Quando não sorrio e vejo as imagens penso “pareço tão séria, mais velha”. É isso: sorrir te faz parecer automaticamente mais alegre e mais bonita. Acredito que a idade só incomoda quando você não está feliz com o lugar que ocupa no mundo. Eu, ao menos, nunca gostaria de voltar aos meus 20 anos. Tive momentos maravilhosos e memoráveis, mas não desejo fazer o caminho de volta. Me sinto tão mais esperta hoje, tão mais experiente. Tenho conhecimento sobre coisas que eu não tinha, consigo enxergar detalhes que não poderia antes, tomar decisões mais rapidamente e saber onde quero chegar. Sou mais eficiente e tenho uma clareza genuína de como conquistar o que planejei. Só melhora com o passar do tempo, mesmo que você sinta as mudanças físicas.

Qual é seu segredo de beleza mais valioso? A última descoberta, que mudou a minha vida, são extensões de cílios! Tenho um rosto plano e acho que por isso não importa qual máscara eu experimente, ela sempre acaba borrando. Sempre! E não gosto das à prova d’água porque são muito difíceis de tirar. Por isso fico de olho em novidades para os cílios. Com as extensões acordo com eles perfeitos, todos os dias. Não tenho muita certeza do processo, mas vejo que são colados cílios individuais junto aos meus com uma cola maluca que os mantém no lugar por três ou quatro semanas. O resultado é bem natural e acho que faz muito sentido para as brasileiras. Dá para ir à praia e tomar chuva sem se preocupar. É a minha dica número 1.

Posts Relacionados